Sábado, 17 de Novembro de 2007

uma freguesia com futuro

Em próxima passada Assembleia Municipal de Oeiras, reunida em Barcarena, foi possivel manifestar em nome de todo o Grupo Parlamentar do PSD naquela a seguinte posição, importante para os fregueses de Barcarena e para os Oeirenses, em geral.

 Aas várias Freguesias do Concelho apresentam níveis de desenvolvimento muito interessantes, evidente com todos os seus aspectos negativos, também há que reconhecer que, Barcarena necessita, de facto, de um impulso, tipo Plano Marshall, algo que faça desenvolver esta Freguesia.   

 Não podemos esquecer que não vivemos no Século Dezoito, não vivemos no Século Dezanove, estamos projectados para o Século Vinte e Um. Admito que o conceito de qualidade de vida possa ser diferente de pessoa para pessoa, por isso, há pessoas, que gostam de viver no Cartaxo, ou em Almeirim e há outras que gostam de viver no Marquês de Pombal.

--O problema do conceito de qualidade de vida tem muito que se lhe diga, isto é, nós podemos dizer eu quero aqui em Barcarena espaço verde completo mas há outros que poderão perguntou quanto é que custa esse espaço verde.------------

 Custa-me, por exemplo, ver os filhos desta terra serem enxotados para municípios vizinhos porque o preço por metro quadrado no Concelho é elevadíssimo e é elevadíssimo porque a oferta é menor que a procura.

Podemos perguntar se com esta alteração não poderão amanhã os nossos filhos ficar aqui, em vez de irem para São Marcos, em vez de irem para a Amadora, ou em vez de serem enxotados para longe daqui. Por mim prefiro-os aqui ainda que isso de facto limite alguma qualidade de vida.

Em relação à qualidade de vida, nós não podemos esquecer que esta Freguesia de Barcarena tem uma coisa que se chama um campo de golfe de dezoito buracos. Claro que podemos dizer que é só para alguns, seja. Mas, não há dúvida de que o espaço verde está lá. Estamos a falar de um espaço importante junto ao Tagusparque, que poderia ter sido ocupado para a construção, não foi e faz parte de um projecto, que é o projecto da Fábrica da Pólvora.       

 O que nós pretendemos aqui e consideramos importante e há que ter isso em mente, é saber-se que ao transformar esta Freguesia com uma nova centralidade, tal resolve o problema do seu núcleo histórico e eu reconheço que é importante.

Julgo que esta dinâmica que aqui nos é trazida em termos referenciais, apenas em termos referenciais, na prática podemos chegar uma nova centralidade para esta Freguesia, as tais praças, os tais equipamentos, a tal capacidade de levar os jovens para aquela zona, aquilo que hoje se dizia aqui, mas, aquilo é só para construir lojas o povo português não tem dinheiro para lá comprar. Não perguntem á Câmara a razão do povo português não ter dinheiro, se calhar terão que perguntar ao Governo a razão disso. Não entro nesse jogo.

É apenas um aparte, assumirá quem quiser assumir, talvez o senhor Marcos Sá transmita esta nossa preocupação a quem de direito, de todo o modo, o que quero aqui referir é que temos algumas preocupações em relação a este termos referenciais.

 Preocupações essas que estão limitadas por aquilo que hoje, posso dizer para o bem e para o mal, que é a ditadura das normas.Todos nós sabemos hoje que tudo aquilo que se faz no nosso País, nesta matéria, está regulamentado e estes termos de referência são balizas muito largas que necessariamente têm que respeitar PDM’S, respeitar CCDR’S, têm que respeitar um conjunto de regras e não há hipótese de as violar.

Quem apresenta estes referenciais estará preocupado com isso, Nós estamos cá e estaremos cá no futuro, no sentido de saber o depois destes referenciais serem implementados o que é que é possível e o que não é possível fazer.

  Estamos a falar de algo que a Freguesia de Barcarena e os Munícipes do Concelho poderão gozar sem que isso custe, rigorosamente, um centavo em termos dos aumentos dos nossos IMI’s, dos nossos impostos .

Congratulo-me como freguês desta Freguesia e como Membro desta Assembleia Municipal por estes termos referenciais, aguardando esclarecimentos e, mais importante, reservando-me uma tomada final de posição quando oportunamente vier a esta Assembleia o reflexo destes termos de referências em relação ao PDM”.

           

publicado por pracana às 20:11
link do post | comentar | favorito
|

.pesquisar

 

.Abril 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
26
27
28
29
30

.posts recentes

. E o "25 de Abril" também ...

. Natal de outrora!

. Passagem para a "outra ma...

. Uma passagem pedonal em Q...

. Bastonário , procura-se!

. Oeiras ou a Imaginação ao...

. Dr. Lopes da Mota, DEMIT...

. Comemorar o 35 de Abril?

. RAMALHO EANES: coerência ...

. A HONRA OU A VIDA?

.arquivos

. Abril 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds